unnamed 2

Como Votar é fruto de parceria do Google com o TSE. Imagem: divulgação

O Google anunciou nesta quarta-feira, 31, uma série de medidas para ajudar eleitores e contribuir para a integridade das eleições de 2022. Além de parceria com o TSE, a plataforma criou uma página dedicada ao pleito no Google Trends e ampliou a transparência sobre anúncios políticos no site, entre outras ações.

Uma das principais novidades, chamada Como Votar, já está disponível. O recurso sugere conteúdos do TSE no topo da página da ferramenta de busca quando se faz pesquisas sobre votação – “como votar” ou “como usar as urnas eletrônicas”, por exemplo. As páginas do órgão fornecem informações sobre locais e horários de votação, documentação, detalhes sobre a urna eletrônica e outros dados relevantes aos eleitores.

O recurso será ampliado com abas de notícias relacionadas às eleições, informações sobre pesquisas realizadas no Google e vídeos criados pelo TSE para responder questões sobre as urnas e o processo de votação.

Flávia Annenberg, gerente de políticas públicas do Google Brasil, destacou a importância do buscador nas eleições, já que muitas pessoas recorrem à plataforma para se informar. “Quando os eleitores têm acesso a informações de qualidade durante a jornada eleitoral, aumentam também os instrumentos para tomar decisões”, disse.

Transparência

A partir desta quinta-feira, 1, o Relatório de Transparência de Anúncios Políticos ampliará seu escopo para incluir publicidades de governantes ou candidatos em nível estadual. Será exigida verificação de anunciantes que queiram publicar anúncios eleitorais mencionando governadores eleitos ou candidatos ao cargo de governador, vice-governador e deputados estaduais.

Antes, a plataforma reunia dados somente sobre cargos em nível federal. Anúncios de candidatos e governantes estaduais também serão incluídos no relatório do Google, que possui informações sobre gastos com cada anúncio e o alcance deles.

“Os anúncios políticos são um pouco diferentes de outros anúncios nos produtos do Google, porque restringimos significativamente como esses anúncios podem ser segmentados para os usuários. Os anúncios políticos podem ser segmentados com base na idade, sexo, geolocalização geral ou segmentação contextual”, explicou David Caragliano, gerente global de políticas públicas do Google.

Trends

Foi lançada a Central Google Trends – Eleições 2022, página dedicada ao pleito, com dados em tempo real. É possível acompanhar tendências de buscas sobre candidatos presidenciais, partidos e perguntas relacionadas à campanha.

“Ele é muito importante para entender o imaginário coletivo da sociedade brasileira que utiliza o Google. Tem mais de 1 trilhão de buscas que são feitas todo ano. As pessoas reagem a eventos do mundo inteiro, a gente consegue mostrar esses dados com um delay de seis segundos. Você coloca a mão na pulsação da Internet”, disse Marco Túlio Pires, líder do Google News Lab no Brasil, sobre a ferramenta de buscas do Google.

Nesta quarta-feira, o Google lançou o Relatório Google Trends Eleições 2022, um estudo baseado em dados da ferramenta Google Trends. Focando em temas como emprego, educação, saúde pública, segurança e meio ambiente, o documento esclarece alguns comportamentos dos brasileiros na ferramenta de busca. As informações são relevantes especialmente para jornalistas, pesquisadores e gestores públicos.

App

No dia 24 de agosto, foi lançado o aplicativo Projeto Comprova (Android, iOS), financiado e apoiado pelo Google News Initiative. O app, de projeto de mesmo nome, reúne um feed com conteúdos verificados pelo consórcio de checagem de fatos formado por 43 veículos de comunicação brasileiros. Além disso, inclui ferramenta para envio de conteúdo suspeito, dicas e conteúdos sobre como identificar informação falsa ou enganosa.

Uma atualização, disponível para Android nesta quarta-feira, permite verificar também imagens suspeitas e realizar “busca reversa”, averiguando se elas foram utilizadas em contextos diferentes anteriormente.

“A forma como a gente trabalha no Brasil e em outros países também, principalmente para endereçar a questão da desinformação, não está limitada ao escopo dos nossos produtos e dos nossos serviços. A gente entende que outras organizações da sociedade também têm um papel fundamental nesse enfrentamento”, explicou Pires.

O app fará parte de uma coleção do Google Play de aplicativos cívicos e de órgãos oficiais que será lançada nas próximas duas semanas. Apps do TSE, como e-Título, também se juntarão ao catálogo. O objetivo é facilitar o acesso a informações úteis e de qualidade na loja de apps do Android.