O 5G já está presente entre nós. Ao menos 20 operadoras associadas à GSMA vão implementar redes comerciais com essa tecnologia entre 2019 e 2020. Algumas delas, como a norte-americana Verizon e a sul-coreana KT Telecom, lançaram suas soluções nos últimos meses. O 5G será muito mais do que apenas Internet móvel para smartphones.  Com velocidades que podem ultrapassar 1 Gbps de acesso, e latência abaixo de 10 m/s, outros setores poderão se beneficiar dessa tecnologia, como os de segurança, saúde, indústria automotiva e de entretenimento. Mobile Time listou algumas das soluções em 5G que foram exibidas durante a MWC19. Confira abaixo:

Ooredoo

20190226 170949Com foco na Copa do Mundo do Qatar em 2022, a operadora Ooredoo pretende lançar comercialmente um serviço de táxi aéreo via 5G. Com um veículo para duas pessoas, a concepção desse serviço é que a rede ajudará a traçar rotas e evitar obstáculos, como drones ou zonas proibidas. Testes com pilotos foram realizados em 2018 e em 2021 a empresa pretende fazer o primeiro voo com passageiro.

Orange

20190226 161147

A operadora francesa trouxe para a feira em Barcelona uma solução de venda via realidade aumentada. Usando um óculos da Magic Leap, a ideia desta solução é eliminar as barreiras nas vendas, com o comerciante explicando sobre produtos via holograma e de forma remota. Nesta demonstração, a latência ficou abaixo de 5 m/s.

T-Mobile

20190226 163739

Com foco na área automobilística e no conceito de carros com conforto, a operadora da Alemanha trouxe três casos de uso de veículos com 5G. O primeiro evita que usuários façam rotas em regiões que as redes estejam congestionadas, como áreas de shows ou jogos de futebol. Outro utiliza inteligência artificial para controlar semáforos e ter uma gestão inteligente do trânsito. Este caso já foi testado e melhorou em 20% o trânsito local em uma praça de Berlim e, em breve, será levado para uma cidade menor no país. E o terceiro era um sistema que transmite streaming de vídeo para o motorista identificar obstáculos ou a hora certa para ultrapassar outro veículo sem correr riscos. Este último, inclusive, será a base da operadora para entrar nos carros autônomos no futuro.

NTT-Docomo

20190226 173723

Com lançamento do 5G programado para 2020, a operadora japonesa pretende lançar uma série de serviços junto com a quinta geração da Internet móvel. Com testes mais focados em cidades inteligentes, turismo, saúde, estádio e mobilidade, a companhia tem mais de 2 mil parceiros para lançar soluções junto com a rede.

Verizon

20190227 1024161

Com usa rede implementada em casas de 12 cidades dos Estados Unidos, a norte-americana Verizon é uma das operadoras cujas demonstrações devem se tornar realidade nos próximos meses. A empresa trouxe uma solução de jogo com realidade virtual e realidade aumentada para 5G que ganhará um kit de desenvolvedor (SDK) ainda este ano. Outra demonstração que deve chegar em 18 meses é uma máscara com óculos de realidade aumentada e visão termal para bombeiros, que também possui mapa para controle do comandante da unidade.

KT Telecom

20190227 105352

A operadora sul-coreana foi a primeira do mundo a lançar uma rede comercial 5G. Usando como base a sua atuação nas Olimpíadas de Inverno de 2018 em PyeongChang, Coreia do Sul, a companhia trouxe o uso de caso do dirigível que foi usado nos Jogos para ajudar na movimentação urbana e em caso de emergências com transmissão de vídeo e controle remoto. Também foram demonstrados jogos com realidade virtual, fábrica conectada e uma solução de controle de carro por equipes de emergência.

Telefónica

20190226 142533

A operadora espanhola levou para a feira casos de usos em games, carros conectados, reconhecimento facial, produção de TV e envio de arquivos pesados para nuvem com 5G e computação de borda. Em jogos, a operadora espanhola procurou demonstrar o efeito da baixa latência com menos 10 m/s. Em carros conectados foi demonstrada uma solução de um veículo da Seat que alertava sobre obstáculos, e conversava com sensores de cidade inteligente e com bicicletas por meio de frequência de 3.5 GHz, que tinha um loop entre 50 m/s e 75 m/s de latência de respostas, metade dos 150 m/s que é a média de uma reação humana habitual no trânsito. Em produção de TV, a ideia é substituir os caminhões de transmissão ao vivo por câmeras com modem 5G, algo que pode reduzir drasticamente o preço das produções de TV; além de dar mais opção de cobertura, pois uma rede de TV não precisaria optar por um jogo do Atlético de Madrid ou do Real Madrid no mesmo horário, podendo transmitir os dois, por exemplo.