A realização de testes em apps e sites móveis é um trabalho árduo que, não raro, é feito manualmente pelos próprios funcionários da empresa desenvolvedora com um punhado de smartphones de uso pessoal. Para agilizar e dar mais confiabilidade a esse processo, a brasileira deviceLab investiu cerca de R$ 5,5 milhões e passou os dois últimos anos desenvolvendo uma plataforma própria de automação de testes para apps e sites móveis. Batizada como Blink, ela está sendo oferecida comercialmente no Brasil há três meses e já conta com cinco clientes de grande porte recorrentes: dois grupos de mídia, um site de e-commerce, uma empresa de turismo e uma do setor financeiro – por razões contratuais, os nomes não podem ser revelados. A expectativa da deviceLab é ter entre 20 e 30 clientes recorrentes ao fim do ano, com um tíquete médio de R$ 20 mil por mês cada um.

A Blink pode ser totalmente operada remotamente e não requer conhecimento de programação ou adição de algum código ao app ou site testado. O cliente acessa um portal da plataforma na web, através do qual sobe seu app e planeja os testes a serem feitos. Do outro lado, no laboratório da deviceLab, há um parque com 120 modelos diferentes de smartphones, representando aqueles com maior market share no Brasil. Podem ser programados testes de interface do usuário, para ver, por exemplo, se um botão aparece corretamente em todos os modelos. São comuns também testes regressivos, para checar se todas as funcionalidades de um app continuam operando normalmente depois que uma nova feature é adicionada em uma atualização, relata Leandro Ginane, CEO e fundador da deviceLab. Com a plataforma, uma análise de resultados pode ser entregue em um dia, o que antes levava até duas semanas, dependendo da extensão dos testes.

"Na construção da Blink, levamos em conta três premissas: 1) que os testes fossem feitos em aparelhos reais; 2) que qualquer pessoa fosse capaz de montar o roteiro de testes; 3) que o mesmo script funcionasse para a maioria dos aparelhos. Não existe nada parecido no mundo. As soluções estrangeiras requerem que você adicione um código ao seu app", relata Ginane.

O próximo passado da deviceLab será a internacionalização da Blink. A tradução para inglês ficará pronta até junho e haverá um esforço de comunicação da solução no exterior, informa.

Tela Viva Móvel

Ginane fará uma apresentação sobre a importância da realização de testes antes do lançamento de um app, durante workshop no 14º Tela Viva Móvel, que acontecerá nos dias 5 e 6 de maio, no WTC, em São Paulo. Para conferir a programação completa do workshop e do congresso Tela Viva Móvel, acesse o site www.telavivamovel.com.br

O Tela Viva Móvel é o mais antigo e principal evento sobre conteúdo e serviços móveis do Brasil. Realizado pela Converge Comunicações, com apoio de MOBILE TIME e TELETIME. Além de painéis que debatem as últimas tendências em conteúdo móvel e do workshop para desenvolvedores, o evento reúne na plateia representantes de toda a cadeia desse mercado, desde desenvolvedores até operadoras, passando por integradores de SMS, agências de mobile marketing, provedores de conteúdo e fabricantes de handsets.

As inscrições no evento podem ser feitas pelos telefones 0800-77-15-028 e 11-3138-4619, entre 10h e 18h; pelo site ou através do email inscricoes@panoramamobiletime.com.br/mt2018.