7 smartphones

|Atualizado em 10 de maio às 16h18, com informações sobre trade-in online| A pandemia do novo coronavírus provocou três efeitos no mercado de aparelhos seminovos: a digitalização do trade-in dentro de sites de e-commerce; o aumento na venda de aparelhos usados para serem recondicionados; e o crescimento na venda de aparelhos seminovos. É o que relata o fundador e CEO da Trocafone, Guille Freire, em conversa com Mobile Time. Em cinco anos de operação, a empresa acumula 1,5 milhão de celulares seminovos vendidos no Brasil e registrou aumento de 60% nas vendas em 2020.

“A pandemia aprofundou a crise econômica que já existia no Brasil. E o mercado de celulares usados é contracíclico. Quem não tem dinheiro para comprar um aparelho novo compra um seminovo por quase a metade do preço”, explica o executivo. Ele prefere o termo “seminovo” para diferenciar de “usado”, porque os aparelhos revendidos pela Trocafone são testados previamente, consertados quando necessário e comercializados com garantia.

“Outro efeito da pandemia: aumentou a venda de smartphones usados para a Trocafone em 2020. Quem tinha aparelhos velhos guardados na gaveta viu neles uma alternativa de ganhar dinheiro”, relata Freire.

Trade-in online

A Trocafone possui várias parcerias com operadoras e varejistas para a realização do trade-in dentro de suas lojas, Samsung, Magalu, Vivo, Pernambucanas, Lojas Americanas, dentre outros. Trata-se da venda de um aparelho usado em troca de desconto na compra de um novo. Durante a pandemia foi acelerada a digitalização desse processo, com um crescimento de 300% nas vendas online da Trocafone em 2020. A Samsung, por exemplo, adotou o trade-in online durante a pandemia

Verificações

A companhia verifica o IMEI de cada aparelho oferecido para ter certeza que não está na lista de terminais roubados mantida pela GSMA. Depois disso, todos os aparelhos comprados pela empresa passam por uma avaliação em seu laboratório em São Paulo. Antes de serem postos de volta à venda como seminovos, é verificado se estão funcionando perfeitamente. De acordo com seus sinais de uso, como pequenos arranhões, cada aparelho tem sua condição classificada em um dos seguintes níveis: “boa”, “muito boa” ou “excelente”. Os aparelhos mais vendidos no ano passado foram iPhone 7, o Galaxy S8 e o Galaxy S9, nesta ordem.

“Antes de a gente chegar, o mercado de usados era 100% informal. Ninguém via a procedência de um aparelho comprado como usado. Nosso desafio é formalizar esse mercado, conferindo transparência e segurança”, completa o CEO da Trocafone.