gestao mudanca

A Rappi (Android, iOS) confirmou a demissão de 6% dos seus funcionários na América Latina. A companhia enfatizou a este noticiário que os cortes são para áreas específicas, não afetam seus planos de crescimento para 2020, e que manterá o ritmo de expansão com contratação em outras áreas.

“O Brasil é um de nossos mercados mais importantes na América Latina e os nossos planos para o País serão um divisor de águas para o setor de aplicativos, não apenas no Brasil, mas em toda a América Latina. Temos planos ambiciosos para a empresa no Brasil e estamos otimistas com os planos de negócio da empresa para 2020”, diz nota da empresa enviada para Mobile Time.

No comunicado, a Rappi afirma que o Softbank não tem participação na decisão desta semana, uma vez que não partiu do conselho da empresa, mas do time de diretores.

A companhia colombiana não abriu os números absolutos, unidades de negócios ou regiões afetadas pelas demissões.

Vale lembrar, o marketplace foi um dos primeiros a receber aporte do fundo latino-americano do SoftBank, US$ 1,2 bilhão. Em contrapartida, o banco japonês adicionou o executivo Jeffrey Housenbold no conselho de administração da empresa de delivery.

O investimento deu à companhia força nos sete mercados onde opera (Brasil, Colômbia, Chile, Uruguai, Peru, México e Argentina) permitirá sua expansão para outros locais e oferecer novos serviços.