privacidade, vazamento de dados

O Google apresentou nesta terça-feira, 10, uma seção de segurança na Google Play que permitirá aos pais saberem quais aplicativos seguem as políticas para a família, de modo que fique mais fácil para um responsável saber se o filho pode acessar aquele app ou não.

A novidade faz parte de um conjunto de regras da companhia para garantir a proteção de menores de 18 anos de idade, seja no acesso a conteúdos ofensivos ou melhor controle das informações coletadas.

Outra novidade da empresa está no Google Assistente e na Busca, que terão padrões e filtros de proteção nos próximos meses para evitar que os jovens vejam conteúdos adultos.

Também se destaca uma atualização do YouTube, no qual será possível definir a configuração padrão de envio para a regras mais restritas nas contas de usuários de 13 a 17 anos no YouTube. E os recursos de bem-estar digital terão mais destaque na plataforma e serão fornecidas proteção e educação sobre conteúdo comercial.

Entenda

major privacy judgements against google

Valor da multa aplicada pelo FTC em 2019

O Google levou uma multa de US$ 170 milhões em setembro 2019. A pena foi aplicada pela procuradoria estadual de Nova Iorque e pelo FTC dos Estados Unidos por violar a lei de proteção de privacidade à criança (COPPA), rastrear e enviar publicidade para crianças com menos de 13 anos de idade, além de coletar ilegalmente dados dos jovens.

Além da multa, o Google firmou um acordo com órgãos norte-americanos para:

– Desenvolver, implementar e manter um sistema que permita aos pais identificarem o conteúdo que as crianças consomem no YouTube;

– Notificar donos de canais do YouTube que precisam seguir as regras do COPPA;

– Dar treinamentos anuais aos funcionários do Google que lidam com donos de canais de YouTube;

– Obter consentimento (opt-in) parental antes de coletar dados pessoais dos jovens.

Ou seja, as regras do acordo podem ser notadas na atualização dos produtos apresentada nesta terça-feira.