O e-commerce brasileiro somou R$ 187 bilhões em transações em 2022, uma alta de 20% contra R$ 155 bilhões de 2021. A informação é do Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio (MDIC), que lançou um painel sobre o segmento baseado em notas fiscais nesta quinta-feira, 11.

Do total no comércio eletrônico brasileiro, R$ 123 bilhões (65%) foram operações de vendas entre os estados (interestadual) contra R$ 64 bilhões (35%) dentro do próprio estado de origem. Um ano antes eram R$ 96 bilhões (61,5%) no interestadual e R$ 60 bilhões (38,5%) no estado de origem da compra.

São Paulo lidera como o estado que mais emitiu notas em 2022, R$ 83,5 bilhões, alta de 14% contra R$ 73 bilhões de um ano antes. O estado também aparece na frente como a Unidade Federativa (UF) com mais operações de destino, com crescimento de 17% ante 2021, ao sair de R$ 53 bilhões para R$ 62 bilhões.

Histórico e pandemia

Gráfico com dados do painel do MDIC (Fonte: MDIC)

O painel lançado pelo MDIC traz um histórico de seis anos das atividades do comércio eletrônico. Entre 2016 e 2022, o Brasil teve um crescimento médio de 32%, ao sair de R$ 36 bilhões para R$ 187 bilhões. O avanço foi mais forte a partir da pandemia de Covid-19, quando as transações no e-commerce praticamente dobraram (87%) de R$ 57 bilhões para R$ 107 bilhões, entre 2019 e 2020. Essa tendência de alta continuou nos outros dois anos.