A consultoria Gartner prevê uma queda de 3,8% nas vendas de telefones celulares (smartphones e feature phones) na comparação entre 2018 e 2019, baixando de 1,81 bilhão para 1,75 bilhão. A companhia acredita que essa tendência decorre do aumento do ciclo de vida dos smartphones high-end, de dois anos e meio para quase três anos.

Dispositivo 2018 2019 2020 2021
Telefones celulares (em bilhões) 1,813 1,75 1,77 1,76

A companhia divulgou na última quinta-feira, 18, a sua previsão para o mercado de dispositivos móveis e computacionais para os próximos três anos. No caso de smartphones, a queda será de 2,5% em 2019, a pior na história da categoria.

De acordo com o diretor de pesquisa do Gartner, Ranjit Anwal, o volume em 2019 será 10% menor que o pico de vendas da categoria, que aconteceu em 2015, quando alcançou a marca de 1,9 bilhão. Nota-se ainda uma tendência de estagnação para os dois anos seguintes na venda de celulares, com previsão de 1,77 bilhão de dispositivos em 2020 e 1,76 bilhão em 2021.

Anwal ressalta que as fabricantes precisam encontrar novas utilidades, eficiências e melhorias de experiências para os dispositivos móveis ou os usuários não vão trocar seus handsets.