Rotineiramente entregamos dados pessoais durante o processo de cadastro de diferentes serviços. Nome completo, endereço, data de nascimento, CPF: essas informações que nos identificam estão nos bancos de dados de instituições financeiras, operadoras de telefonia, órgãos governamentais etc. Mas quão seguros os brasileiros se sentem no que diz respeito à gestão desses dados pelas empresas?

Para responder a essa pergunta, uma nova pesquisa realizada por Mobile Time e Opinion Box solicitou aos entrevistados que dessem uma nota em uma escala 1 a 5, em que 1 é “desconfio completamente” e 5 é “confio completamente”, para medir o quanto confiam que determinado grupo de empresas gerencia corretamente os seus dados pessoais, evitando que sejam repassados para terceiros sem o seu consentimento.

Os bancos são as empresas nas quais os brasileiros mais confiam para a gestão de seus dados pessoais. 54% deram notas 4 ou 5, e 32%, nota 3. Apenas 14% desconfiam dos bancos nesse aspecto, com notas 1 ou 2. É razoável inferir que o constante esforço do setor financeiro para assegurar a segurança em suas transações e para descobrir pró-ativamente fraudes em compras com cartões, antes mesmo de os consumidores notarem, pese a seu favor na percepção popular.

As redes sociais, por outro lado, são aquelas nas quais os brasileiros menos confiam. Apenas 30% deram notas 4 ou 5; 37%, nota 3; e 33% concederam notas 1 ou 2. Os recentes escândalos internacionais de vazamento de dados envolvendo o Facebook provavelmente pesaram negativamente na avaliação dos entrevistados.

No meio do caminho entre bancos e redes sociais, ficam os órgãos governamentais, as operadoras de telefonia, as distribuidoras de energia e os sites/apps de comércio eletrônico.

A pesquisa entrevistou no fim de outubro 2.055 brasileiros que acessam a Internet e possuem smartphone. A margem de erro é de 2,1 pontos percentuais.

Mais dados sobre essa pesquisa serão apresentados durante o Mobi-ID, seminário sobre identificação e autenticação digitais que será realizado no dia 26 de novembro, no WTC,

Mobi-ID

Mobi-ID reunirá diversos especialistas para discutirem temas como o fim das senhas, identidade autossoberana, autenticação comportamental, desmaterialização dos documentos oficiais, e diferentes técnicas de biometria, como reconhecimento facial, leitura de digital e escaneamento da palma da mão. Estão confirmados entre os palestrantes o CSO da Vivo, Ruben Longobuco; o diretor de cibersegurança para o sul da América Latina da Microsoft, Nycholas Szucko; a diretora-presidente do Serpro, Glória Guimarães; a CEO da Trigg, Marcela Miranda; o gerente executivo de TI do Banco do Brasil Igor Régis Simões; e o gerente de inovação e pesquisa do Bradesco, Paulo Correia; dentre outros.

A agenda completa e mais informações estão disponíveis no site www.mobi-id.com.br, ou pelo email eventos@mobiletime.com.br; ou pelo telefone 11-3138-4619.