Foi lançado oficialmente nesta quarta-feira, 27, o SikurPhone, um smartphone com foco em segurança desenvolvido no Brasil pela Sikur. O hardware é fabricado pela Sony, enquanto o sistema operacional, chamado Sikur OS, é desenvolvido pela companhia brasileira. Seu público-alvo são executivos que demandam máxima segurança em suas comunicações. A maior demanda vem dos EUA, da Europa e do Oriente Médio, relata Cristiano Iop, CEO da Sikur, em conversa com Mobile Time. Cerca de 2,5 mil unidades já foram distribuídas para quem havia encomendado o terminal na fase de pré-vendas. A expectativa do executivo é vender pelo menos 40 mil unidades nos próximos 12 meses.

O Sikur OS foi construído a partir do Android, mas traz uma série de modificações para lhe conferir maior segurança. Por exemplo: é impossível transferir dados via cabo para ou a partir do aparelho; não dá para fazer um root do telefone e substituir o OS; não dá para acessar nenhuma loja de aplicativos, a não ser a da Sikur, que será lançada no fim do ano; e não é permitida a instalação de nenhum aplicativo que não seja certificado pela Sikur, o que impede, por exemplo, que um malware seja instalado ao se clicar em um link malicioso.

O telefone traz embarcados aplicativos de comunicação criados pela própria Sikur para ligações telefônicas e mensagens. Todo o tráfego trocado por esses apps é criptografado. Portanto, mesmo que o cliente esteja conectado a uma rede Wi-Fi insegura, sua comunicação está protegida. Cabe lembrar, contudo, que é possível realizar ligações para telefones convencionais pela rede móvel a partir do SikurPhone: neste caso, contudo, não há garantia de segurança.

WhatsApp e loja de apps

sikurphone

SikurPhone XA2

Outro aplicativo que vem embarcado no aparelho é o WhatsApp. Esta era uma demanda antiga dos clientes da Sikur. A empresa tratou de aprimorar ainda mais a segurança do popular app de mensagens. Embora ele já seja criptografado fim a fim, contém algumas brechas que a Sikur procurou bloquear. Por exemplo: o backup dos arquivos do WhatsApp normalmente é feito sem criptografia na nuvem do Google. No caso do SikurPhone, esse backup acontece na nuvem da Sikur e de forma criptografada. Outro diferencial que torna o WhatsApp mais seguro dentro do SikurPhone é que o aparelho impede que um malware seja instalado e acesse dados do WhatsApp armazenados no terminal, como as fotos trocadas com outras pessoas.

Até o final do ano a empresa vai lançar sua própria loja de aplicativos onde somente títulos devidamente analisados por sua equipe de P&D estarão disponíveis. A ideia é ouvir os clientes para escolher quais serão avaliados. “Haverá um processo de homologação para apps. Estamos criando a infraestrutura para hospedar os aplicativos. Eles serão submetidos para o nosso time de P&D. Será feita uma análise do ponto de vista de segurança. O que o app acessa? Onde armazena seus dados? etc. Eventualmente faremos sugestões aos desenvolvedores para que os apps possam entrar na loja”, explica Alexandre Vasconcelos, COO da Sikur.

Especificações

O SikurPhone chega ao mercado em dois modelos: XZ1 e XA2, ambos produzidos pela Sony. O XZ1 custa US$ 850 e o XA2, US$ 650. Eles serão comercializados pelos revendedores oficiais da Sikur ao redor do mundo.

O XZ1 tem tela de 5,2 polegadas IPS LCD Corning Gorilla Glass 5; chipset Snapdragon 835; 4 GB de RAM; 64 GB de memoria interna; câmera frontal de 19 MP e traseira de 13 MP; e 2.700 mAH de bateria.

O XA2 tem tela de 5,2 polegadas IPS LCD Corning Gorilla Glass 4; chipset Snapdragon 630; 3 GB de RAM; 32 GB de memória interna; câmera frontal de 23 MP e traseira de 8 MP; e 3.300 mAH de bateria.