O lançamento do RBM (Rich Business Messaging) pelas quatro grandes operadoras e pelo Google no Brasil não causará nenhum impacto negativo sobre o mercado de SMS A2P em um primeiro momento, prevê o diretor de negócios da Wavy, Henrique Angeli. Isso porque a maioria das campanhas em RBM serão para casos de uso que hoje não utilizam o SMS tradicional, como o envio de promoções com imagens e vídeos, ou formulários de pesquisas.

“Inicialmente o impacto sobre o SMS A2P vai ser zero. Ou talvez o SMS até ganhe um pouco em cima do RBM, porque se o usuário não receber a mensagem por RCS, faremos um fallback em SMS”, explica o executivo, em conversa com Mobile Time.

Por outro lado, o RBM deverá concorrer mais diretamente com o WhatsApp Business API. “Uma vez que que o RCS ganhe tração no Brasil e aumente sua base com telefones da Samsung, quem pode sofrer algum impacto será o WhatsApp”, diz o diretor da Wavy. Vale lembrar que o RCS tem alguns recursos multimídia que ainda não estão disponíveis no WhatsApp, como carrossel multimídia. Além disso, o Google permite no RBM o envio de campanhas publicitárias para bases com opt-in, enquanto o WhatsApp proíbe seu uso para campanhas de marketing.

As primeiras campanhas de RCS com clientes da Wavy já estão sendo construídas. O iFood, aplicativo que pertence ao mesmo grupo, a Movile, prepara uma promoção por RCS para sua base de usuários. E um banco fará uma campanha para aprovação de um cartão de crédito com formulário preenchido no card da mensagem enviada por RCS.

Modelo de negócios

Os preços que as operadoras vão cobrar por mensagem e por sessão no RBM foram divulgado na semana passada. Mas os brokers terão liberdade para adotar outros modelos de negócios. A Wavy, por exemplo, pretende agregar valor ao produto adicionando sua tecnologia de chatbot e de inteligência artificial. Assim, sua cobrança no RBM será por usuário ativo mensal (MAU, na sigla em inglês).

Super Bots Experience

A COO da Wavy, Marcia Asano, participará de um painel sobre o mercado brasileiro de plataformas de construção de bots durante o Super Bots Experience, seminário que este ano acontecerá em formato digital nos dias 16, 17 e 18 de setembro.

O evento contará também com uma palestra de balanço de dois anos do WhatsApp Business API, a ser feita por Marcos Oliveira, diretor de desenvolvimento de negócios do WhatsApp. Do lado do Google, a country lead de parcerias no Brasil para Google Assistente, Walquíria Saad, participará de um painel sobre assistentes de voz e voicebots.

A programação completa e mais informações sobre o evento estão disponíveis em www.botsexperience.com.br ou com a equipe de vendas de Mobile Time: eventos@mobiletime.com.br / 11-96619-5888 / 11-3138-4619 (WhatsApp).