Leonardo Euler, presidente da Anatel

A Anatel apresentou nesta quinta-feira, 23, o seu aplicativo de comparação de preços nos planos nacionais de telefonia móvel, telefonia fixa, banda larga fixa e TV por assinatura. Batizado de Anatel Comparador (Android, iOS), o app permite ao consumidor escolher três ofertas e compará-las por atributos mercadológicos, como modalidade, tamanho da franquia e valores.

“Eu diria que a maior virtude (do aplicativo) não é a acurácia e a tempestividade, mas o incremento de transparência e ganho adicional. Essa ferramenta, que precisa ser continuamente aprimorada, inclusive com combos, deve instruir na competição”, disse Leonardo Euler, presidente da Anatel. “Exatamente por isso o conselho gestor aprovou um grupo de gestão dessa ferramenta; feito por meio de projeto com discussões multilaterais do setor. Esse grupo tem como objetivo levar a melhor experiência do usuário durante o uso dessa ferramenta”.

As ofertas adicionadas ao aplicativo têm como base as informações providas pelas operadoras, e, caso tenha atualização em suas ofertas, as empresas são obrigadas a atualizar os dados.

Ecossistema

Elisa Leonel, superintendente de relações com o consumidor da Anatel

Para Marcos Ferrari, presidente do SindiTelebrasil e representante das principais operadoras de telecomunicações, o app Anatel Comparador é uma “simbologia da abertura de diálogo do regulador e do regulado”. “A ferramenta é fruto da interação dos dois lados. O app em si é iniciativa da Anatel, e tem informações de fato que permite fazer escolhas, dar suporte ao consumidor na compra. Mas com informações das operadoras”.

Por sua vez, Luciano Timm, secretário do Senacon, ressaltou que o objetivo final do app é a “correção de falhas de mercado e assimetria de informação”, além de promover concorrência. De forma similar, Elisa Leonel, superintendente de relações com o consumidor da Anatel, disse que, embora o País tenha avançado em redes e ofertas de serviços de telecomunicações, há problemas de transparência entre empresas e consumidores que precisam ser resolvidos.

“Por termos um serviço massificado no País, nós não podemos tranquilizar e achar que estamos com os problemas resolvidos. Tem que ter transparência na oferta e clareza de comunicação com o cliente”, explicou Leonel. “Há um volume enorme de conflitos e boa parte deles está ligado à falta de transparência na oferta”.

Estrutura

Abraão Balbino, superintendente da Anatel

O app foi criado com apoio do Fundo de Direitos Difusos (FDD), Secretária Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça (Senacon) e com a participação das principais empresas do mercado. Inicialmente R$ 200 mil foram remanejados do fundo para criar um piloto do app. Na versão que foi lançada nesta quinta, a Anatel usou equipe e capital próprios.

De acordo com Abraão Balbino, superintendente da agência reguladora, o app começa com 380 ofertas, sendo 114 delas de telefonia móvel. Desse total de ofertas, 64% são de Claro, Oi, Sky, TIM e Vivo, o restante é de pequenas prestadoras (PPPs) que podem aderir de modo facultativo. Entre elas estão Algar, Brisanet e Cabo Telecom. Balbino disse que 50 PPPs gostariam de aderir ao app e que há espaço para operadoras virtuais, por exemplo. Interessados podem entrar em contato via e-mail: gaac@anatel.gov.br.

Alex Juscius, presidente da Associação Neo, representante dos pequenos, afirmou que apesar das PPPs não terem obrigação de apresentarem suas ofertas no Anatel Comparador, o app torna-se uma “ferramenta de marketing” e de alcance do consumidor muito forte.

Em atributos, o superintendente revelou que são  aproximadamente 190 atributos existentes na base de dados: “Eles são resumidos em campos especificados para o usuário comparar. Naturalmente, esses campos vão aumentar quando tiver atualização com as ofertas conjuntas (combos)”.

Balbino afirmou também que a opção de comparação entre ofertas combo entrará no app nos próximos 90 dias.

Como funciona

App Anatel Comparador

Após baixar o app, o usuário deve colocar estado e cidade de sua residência. Em seguida deve selecionar entre telefonia móvel, telefonia fixa, TV por assinatura e banda larga fixa. Ao optar por uma das opções, o consumidor terá quatro alternativas no alto da tela: um ícone para escolher e comparar as três ofertas favoritas; outro para ordenar por preço; mudança de cidade; e filtro por operadora, nome da oferta, modalidade, preço e se o contrato demanda fidelização.

Cada oferta aparece como card e, ao clicar nela, sem selecionar o modo comparativo, é possível ler sua descrição. Porém,  se clicar no modo comparativo, o usuário seleciona até três ofertas e pode comparar os atributos e até acessar as ofertas no site das operadoras, por meio de um link que leva para a loja da companhia selecionada.

Ainda é possível criar uma lista com os planos favoritos.