carteira de trabalho

A TIM e a Vivo apresentaram planos para não demitir funcionários durante a crise do coronavírus. A partir desta quarta-feira, 15, a Vivo aderiu à campanha Não Demita, uma ação com mais de 2 mil empresas e que pede que ninguém despeça colaboradores de seus quadros até 31 de maio de 2020. E a TIM informou que complementará as normas das Medidas Provisórias (MP) 936 e 927 por dois meses.

TIM

Com as MPs, que visam reduzir jornadas de trabalho e salário durante a pandemia, os funcionários da operadora terão suas rendas pagas por um mix entre governo e TIM, além de um complemento que iguala e mantém o salário normalmente.

Na prática, o governo pagaria a maior parcela do soldo (70%) e a TIM, o restante (30%). Mas, de acordo com a companhia, os funcionários terão a renda complementada de modo que totalize o salário que recebem habitualmente.

Na operadora, a área comercial é a mais atingida pelas suspensões contratuais, uma vez que as lojas seguem fechadas. Ao todo, 96% dos funcionários elegíveis aderiram à suspensão 24h após o anúncio via comunicado interno. Uma vez suspensos, os colaboradores seguem com acesso aos planos de benefícios da empresa.

Sem a ação da companhia, um funcionário da TIM que recebe R$ 3 mil por mês teria uma redução salarial de 27,7% e perda bruta de R$ 1,6 mil no período, conforme calculadora disponibilizada pelo Dieese. Vale lembrar que as MPs permitem suspensão direta de contrato para pessoas que ganham até R$ 3.299. Acima disso o valor a ser pago pela suspensão deve ser acertado entre empresa e sindicato.

Em outra atividade para apoiar os seus trabalhadores, a companhia telefônica pagará a segunda parcela do programa de participação dos resultados (PLR) de 2019 nesta quarta-feira.

Vivo

Além de aderir e se comprometer com o programa Não Demita, a Vivo preparou programação com conteúdo de apoio aos trabalhadores em home office via Workplace by Facebook; ampliou o trabalho remoto e, atualmente, tem 20 mil pessoas trabalhando de casa; disponibilizou atendimento virtual junto ao Hospital Albert Einstein; e distribui kits de higienização e proteção às equipes de campo.