shutterstock 1157861293O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump planeja assinar uma decisão que ordena que a ByteDance, proprietária do TikTok (Android, iOS), venda as operações do aplicativo de vídeo nos Estados Unidos. O nome da Microsoft emergiu como um potencial comprador. As notícias das negociações foram relatadas primeiro na Fox Business Network, nesta sexta-feira, 31, e depois por The New York Times e Bloomberg. Porta-vozes da Microsoft e TikTok foram procurados pelos jornais, mas se recusaram a comentar.

O TikTok nega as acusações de que alimenta dados de usuários na China ou que pertence ao governo chinês, mesmo que a ByteDance esteja sediada lá. O TikTok agora tem um diretor executivo com sede nos EUA e a ByteDance considerou fazer outras mudanças organizacionais para satisfazer as autoridades dos EUA. Recentemente, o CEO da empresa, Kevin Mayer, anunciou que o app vai abrir seu algoritmo para mostrar como são tomadas as decisões de moderação. A empresa criou o que chama de “Centro de Transparência e Responsabilidade para práticas de dados e moderação”.

Dúvidas

Segundo os noticiários internacionais, não está claro se Trump tem o poder de ordenar que uma empresa estrangeira venda sua participação em um negócio nos EUA ou como a empresa pode responder a um pedido desses. A ordem parece ser uma escalada dos recentes ataques do governo Trump contra o TikTok e outras empresas chinesas. O presidente dos EUA disse no início deste mês que estava pensando em proibir o aplicativo, citando preocupações de segurança nacional.

Também não está claro onde o TikTok se encaixaria nos negócios da Microsoft. A principal presença da Microsoft nas redes sociais é o LinkedIn, voltado para profissionais e o mundo corporativo.